Arquivos do Blog

Uma matéria sobre slings que poderia melhorar

Recentemente saiu uma matéria na Revista Crescer sobre slings. Na realidade foi mais uma nota que uma matéria.

Na opinião de várias fabricantes foi fraca e cheia de informações equivocadas. Por isso estamos em uma Blogagem Coletiva.

Vamos conversar sobre as informações corretas?

– O produto pode ser usado desde o nascimento do bebê. Inclusive e principalmente se ele for prematuro (vejam o Método Mamãe Canguru, o sling é o mesmo método  que pode continuar sendo usado por mais tempo). Dizer que pode ser usado a partir dos 4 meses é uma baita desinformação! Para não ter perigo de sufocamento é só usar corretamente. Por isso sempre procurem comprar o sling com quem sabe ensinar a usar ou envia um material com instruções. Minha filha nasceu prematura e usou o sling desde a maternidade.

– Na hora de ajustar o sling (o de argolas a gente ajusta a altura antes de colocar o bebê)  a cabeça do bebê deve ficar em uma altura confortável que você não precise se abaixar ou levantar o bebê para beijá-lo! Se eu deixar o sling na linha do quadril ele vai ficar lá embaixo!!!

– Temperatura. Aqui a regra é simples, se está calor e vai colocar o bebê no sling, coloque o mínimo de roupa possível. Bebês transpiram no colo, no berço, no carrinho e no sling também.

– Use pelo tempo necessário. Mesmo os slings que apoiam em um dos ombros permitem uma postura melhor que quando carregamos o bebê nos braços. A dica de mudar o ombro é ótima! Outra dica é usar um mei-tai ou um wrap que deixam o apoio nos dois ombros. E a posição não força o quadril nem as costas! Não fica pendurado, fica ergonômico ao contrário dos cangurus que deixam as perninhas penduradas.

Aos especialistas consultados na matéria eu sugiro pesquisarem mais sobre os slings e menos sobre os cangurus. Eu sei que o tempo é escasso mas são informações para uma maioria que nunca ouviu falar sobre o assunto. A mãe compra o sling e se priva 4 meses de usar porque acha inseguro. Bem nesses 4 meses onde o uso do sling é mais indicado.

As fotos poderiam ser melhores, os slings ali dobrados parecem todos o mesmo modelo. Os preços também estão super mal explicados. Há slings mais caros e mais baratos que isso.

Ainda sonho com uma matéria completa sobre os slings, falando de todos os modelos, benefícios e dicas reais de segurança. Tipos de argolas, tecidos… sonhar não custa.

Até mais!

Marilia Mercer | Slinguru Slings

PS: Os links eu vou colocando aqui enquanto as meninas terminam os posts.

 

     

    Anúncios

    Informações Equivocadas

    Agora as notícias sobre os acidentes com os carregadores baby bags (ou sling bags) pipocam também aqui no Brasil. O único problema é que eles colocaram todos os slings sob suspeita também.

    Eu como fabricante de slings sempre coloquei a segurança em primeiro lugar, inclusive fui buscar junto ao IPEM, INMETRO, desenvolver uma certificação para regulamentar a fabricação dos slings. Porém, isso seria muito caro para alguém que produz os slings artesanalmente como eu e várias fabricantes (que inclusive estão ali na lista ao lado).

    Com essas matérias saindo a todo instante, muitas informações equivocadas são repassadas e por isso resolvi fazer esse post.

    1. “Não se deve usar sling em recém nascidos.” Errado! Não se deve usar os Baby Bags em recém nascidos, o sling pode e deve ser usado inclusive por prematuros. Ele ajuda no desenvolvimento da respiração, na amamentação, no vínculo com a mãe. Se prematuros não pudessem usar o sling não existiria o Método Mamãe Canguru. Logicamente que existe a maneira correta de usar, o bebê deve estar na mesma posição que ficaria nos seus braços e com o nariz e a boca livres para respirar.
    2. “O sling só deve ser usado até o bebê atingir 10% do peso da mãe.” Errado mais uma vez. Esse conselho até é bom na teoria, mas só seria aplicável se TODA mãe ou pai não carregasse mais seu bebê no colo após ele atingir o peso correspondente a 10% do seu próprio peso. O sling ajuda a distribuir o peso no corpo de quem carrega o bebê, é muito mais confortável que carregar no colo principalmente em lugares onde você precisa ficar com o bebê e não tem como usar um carrinho!
    3. “Somente slings industrializados são seguros.” Errado. Slings são peças feitas de mãe para mães (ou pais, avós…). São peças artesanais, desde que bem feitos não necessitam ser industrializados. Aliás, os baby bags é que são industrializados e que causaram o acidente. O sling feito com paciência e cuidado não necessita ser produzido em série para ser seguro.
    4. “O sling é uma novidade, por isso não se tem muitas informações a respeito.” Errado. Esse blog é uma prova disso. Há muito tempo que disponibilizamos informações sérias sobre a segurança dos slings. É só dar uma passeada pelo blog que você vai encontrar várias informações sobre argolas, costuras, tecidos, etc.

    Por um outro lado tudo isso pode servir para uma certificação dos slings. Isso realmente é necessário, faz muito tempo que buscamos isso mas nunca ninguém se interessou. Abrimos até uma associação para poder unir quem fabrica slings com qualidade, infelizmente ela não está totalmente ativa ainda.

    Um sling bem feito e bem utilizado SÓ traz benefícios ao bebê e a quem carrega. Ele é um “ajudante do colo”, e colo é uma necessidade do bebê!

    Até mais!